sobre as partes de um livro #1 – a capa

Como comentei na resenha de “O que há por trás” da Bárbara Lorentz, este é o primeiro post sobre a estrutura que faz o produto livro. Não vai ser um post muito profundo, minha intenção e apresentar as partes do livro e não necessariamente ensinar design editorial.

Este vai ser um post relativamente extenso, tentei exemplificar praticamente todos os assuntos que trato nas resenhas durante o texto. Então, preparem os dedinhos para scrollar até o fim. ^_^

Vamos começar conversando sobre a capa que é a vitrine do livro. A capa é formada por alguns “elementos”: a capa propriamente dita, as orelhas, a lombada e a quarta capa.

Capa

Na capa é sempre importante passar a ideia principal do livro para o leitor. A imagem/ilustração, título, o nome do autor, todos devem se complementar para criar harmonia. É sempre interessante procurar referências de quais são as tendências praticadas pelas editoras.

Existem algumas aplicações gráficas que criam efeitos e áreas visuais interessantes quando inseridas na arte. Hoje em dia praticamente todos os livros tem algum tipo de laminação, que é uma proteção plástica adesiva para a capa. A laminação fosca tem uma aparência mais aveludada e é minha preferida. A laminação brilhante dá um efeito mais “fotográfico” e reflexivo na capa. As duas são filmes plásticos “termo-ativados” aplicados por laminadoras ou máquinas convencionais de plastificação.

Colocar relevos secos é muito legal também (1). É tipo um “carimbo” que normalmente é aplicado em áreas como o título. Na gráfica, antes de montar o livro, a área selecionada é “carimbada” pelo verso da capa, deformando o papel, e isso faz com que crie um tipo de “altura tátil” no lugar correspondente da frente da capa. Dá para conjugar com o relevo seco um verniz localizado. O verniz localizado (2) costuma criar desenhos “invisíveis” que, quando movimentamos a capa, passam a ficar visíveis pelo reflexo da luz.

(1) marcas de relevo seco no título do livro Jogos Vorazes de Suzanne Collins

(1) marcas de relevo seco no título do livro Jogos Vorazes de Suzanne Collins. Dá para perceber a “altura tátil” nas letras?

(2) aplicação de verniz localizado na capa do livro Sangue e Chocolate de Annette Curtis Klause

Hot stamping (3) é um tipo de aplicação localizada que cria um efeito metalizado na área aonde é colocado. Hoje em dia eu tenho visto muito livros com chapadas metalizadas (4) ou com efeitos holográficos (5) sobre a arte do livro.

(3) exemplo de hot stamping na capa do livro Os Sete Selos de Luiza Salazar

(4) exemplo de chapada metalizada na capa de Artemis Fowl e o Complexo de Atlântida de Eoin Colfer

(5) exemplo de efeito holográfico na capa de Cidade dos Ossos de Cassandra Clare

Lembre sempre que a capa do livro é a vitrine! É ela que vai vender o livro na maioria das vezes.

Lombada

Na lombada normalmente se repete as informações do título, autor e editora. Mas existem duas maneiras de se montar a lombada (6), dependendo do tipo de leitura da informação que desejamos. Vou tentar explicar. Se for mais importante a leitura da lombada quando o livro estiver na estante, estamos usando o modelo europeu, e o texto deve ser “escrito” de baixo para cima. Se, por outro lado, priorizarmos a leitura da lombada com o livro apoiado na horizontal, estamos usando o modelo americano, e o texto deve ser “escrito” de cima para baixo (a foto vai ajudar a entender melhor).

(6) exemplos de lombada: a capa azul está no estilo americano, e a capa vermelha no estilo europeu. Série Olimpo em Guerra de Kate O’hearn.

Quarta Capa

Na quarta capa, que às vezes as pessoas chamam de contra-capa, você continua com o trabalho gráfico que começou na capa. As seguintes informações costumam ser colocadas na quarta capa: o código de barras e o número de ISBN, o logo da editora, um “quote” de um personagem ou trecho da história, “quotes” de “críticos” que já leram o livro, sinopse do livro (7).

(7) exemplo de quarta capa mostrando a sinopse do livro. O Festim dos Corvos de George R.R. Martin.

(7) exemplo de quarta capa com quote de personagem. Calafrio de Maggie Stiefvater.

(7) exemplo de quarta capa com quotes de críticos e quote de personagem. Crepúsculo de Stephenie Meyer.

Orelhas

Por último existem as orelhas. Na orelha esquerda (8), que é a continuação direta da capa, normalmente se coloca mais informação sobre a história do livro, que pode extravasar para a orelha direita (9). Nesta orelha já vi utilizarem as seguintes informações: foto e mini-bio do autor, informações sobre a editora, lista de outros livros do mesmo autor, (sendo uma série) lista de outros livros que a compõem. Elas também tem um certo trabalho estrutural na capa, fortalecendo a integridade e deixando-a mais rígida. Muitas pessoas as usam como marcador de página. Eu abomino esta prática pelo simples fato que estraga o livro. Use marcadores próprios, por favor!

(8) exemplo de orelha esquerda com sinopse da história. Amante Liberto de J.R. Ward.

(9) exemplo de orelha direita com informações da série e da editora. Amante Liberto de J.R. Ward.

(8) exemplo de orelha esquerda com quote e sinopse da história. Crepúsculo de Stephenie Meyer.

(9) exemplo de orelha direita com foto e mini-bio do autor. Crepúsculo de Stephenie Meyer

Outros artifícios que se pode usar na capa são: uma jaqueta com arte diferente (ou não) da capa propriamente dita e que envolve o livro como um todo; uma cinta, que é tipo uma jaqueta só que com uma altura menor. Normalmente, a cinta tem informações de marketing do livro como: lançamentos e realizações do autor, quantidade de livros já vendidos nacional e internacionalmente. Os dois modelos costumam ficar presos pelas orelhas dos livros. Infelizmente eu não tinha nenhum exemplo em casa para fotografar para vocês. T_T

Uma coisa legal mas que não é muito utilizada por causa do custo são as facas especiais que criam cortes em desenhos e formatos que o designer projetar. Além disso, não é muito usual mas a parte interna da capa (10) também é uma área que pode ser trabalhada com chapadas de cor, grafismos e outros tratamentos gráficos que tenham a ver com o projeto desenvolvido para o livro.

(10) exemplo de verso da capa trabalhado. Caçada de P.C. Cast.

Acho que cobri basicamente uma parte bem abrangente da capa. No próximo post vou conversar com vocês sobre o miolo e as partes que o compõem. Espero que as fotos tenham ajudado a ilustrar as explicações, mesmo sendo ruins. XD

Até a próxima! o/

2 Comentários

  1. Olá.
    Nossa. Nunca pensei que falar sobre capas daria tanto assunto… e melhor, tão interessante! Eu mesmo quando vou à uma livraria fico bobo ao ver tantas imagens reluzindo, piscando os olhos para mim e dizendo: me leve. Hehe. “Lembre sempre que a capa do livro é a vitrine! É ela que vai vender o livro na maioria das vezes.”, pura verdade. Costumamos julgar o livro pela capa, ainda mais que elas estão cada vez mais belas!
    Parabéns pelo site!

Quer parafrasear também?

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>